Uma flor quebrada

A raiz era a escrava,Descabelada negrinhaQue dia e noite ia e vinhaE para a flor trabalhava.E a árvore foi tão bela!Como um palácio. E o ventoPediu em casamentoA grande flor amarela.Mas a festa foi breve,Pois era um vento tão forteQue em vez de amor trouxe morteÀ airosa flor tão leve.E a raiz suspiravaCom muito sentimento.Seu trabalho onde estava?Todo perdido como vento.Cecília Meireles

01/08/2010 | Ninho de borboletas | Literatura & Poesia | flor

Postagens Relacionadas

O Vento e o Beija-flor

Sendo ele o vento, estava sempre a brincar por aí.Passear, subir, descer entrar nos bosques sobrevoar os lagos.E assim passava os seus dias fazendo o que queria e se divertindo.Em uma das brincadeiras o vento conheceu o beija-flor.Encantou-se por ele e passou a brincar com ele, por muitas vezes quase o fazendo cair.Após algum tempo o vento percebeu que realmente gostava do beija-flor.E tentou transmitir isso a ele.Mas o beija-flor não o entendia.Afinal quem levaria a serio um vento que [...]

01/08/2010 | Então Tô Verde! | beija flor

De Plástico

Foto: Mario CarvalhoEspero que entendasas pétalas friasSem perfume, viçoou cor...As flores que eram nosso amor...Lembra?As que agora repousamnuma página qualquersobre o mofo das palavrasNosso amor de flores de plástico.

01/08/2010 | Etc e Tal | flores de plástico

Pelo ar!

Pelo ar!Quando na cadência dos dias sentirdes que a felicidade de teu coração, numa revoada doida de borboletas do brejo, partiu para as flores do alto das copas das arvores mais altas e sentirdes que te falta um carinho, ouve na brisa que passa lá fora de tuas portas se não te chegou de mim um beijo perdido pelos caminhos do vento.Assim todas as vezes que te tocarem aos cabelos aquela sopro de vento, escuta-o, pois pode ser que seja eu [...]

01/08/2010 | POEMAS POESIAS E PROMESSAS | teu coração

Caixa biju - decoupage e pintura

Decoupagem e pinturaPintei a caixa dentro e fora de lilás, na tampa externa coloquei figura de flores (guardanapo),na parte interna coloquei figura de flores com espelho.

01/08/2010 | artesanato | caixa

Atitude - Cecília Meireles

Minha esperança perdeu seu nome... Fechei meu sonho, para chamá-la. A tristeza transfigurou-me como o luar que entra numa sala. O último passo do destino parará sem forma funesta, e a noite oscilará como um dourado sino derramando flores de festa. Meus olhos estarão sobre espelhos, pensando nos caminhos que existem dentro das coisas transparentes. E um campo de estrelas irá brotando atrás das lembranças ardentes. Cecília Meireles

01/08/2010 | Maisa Leal Blog | cecília meireles