REFLEXÃO CAIPIRA (LXI)

Oiano pra tráis iêu vejo a paisage se apagano siguino pra frente istô do rincão só mi afastano módi a roça fôsse carro o asfarto siría de barro iás lembrança o retrovisô

28/11/2012 | Besta Fubana | Pessoal | rádio peão huytamar

Postagens Relacionadas

REFLEXÃO CAIPIRA (XXXII)

Num roçado di isperança iêu prantei meu curação naiscêu nele as criança mais o amor diocê   iêu módi nóis fêiz a coiêta criêmo nossos capeta i o roçado não morreu

28/11/2012 | Besta Fubana | rádio peão huytamar

REFLEXÃO CAIPIRA (XXXI)

Iêu mi alembro di seus zóio toda veiz qui óio  o céu modi ispiá as sua trança mi faiz vortá sê criança qui si lambuzô toda de mel

28/11/2012 | Besta Fubana | rádio peão huytamar

REFLEXÃO CAIPIRA (XLVIII)

Na roça tumém tem prefeito módi  as campanha di ileição tem prumessa antes do pleito trabaio, saúrde, inducação inté miorá a sigurança isporte pra tudas criança tudim inhantes da  vortação

28/11/2012 | Besta Fubana | rádio peão huytamar

Ocê mi oiô !!!!

Lá na roça, um menino e uma menina foram criados juntos, desde que eram bem miudin...O tempo foi passano, passano, eles foi creceno, creceno.Aí se casaro.No dia do casório, sacumé, povo da roça não viaja na lua de mér, já vai direto pra casinha de pau a pique.Chegano lá na casinha, o Zé, muito tímido, vira para Maria e fala:- Ó Maria, nois vai tirano a rôpa, mais ocê num mi óia, nem ieu ti óio, vamu ficar dis costa.Maria responde:- Tá bão Zé. Intaum eu num ti óio e ocê num mi óia, cumb [...]

28/11/2012 | Hei No Stress | ocê